quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Algumas coisas que precisam ser ditas sobre a Dona Solange Perdigão.

Existem coisas que funcionam assim: Se você parar para pensar, simplesmente você não o faz. Isto, eu percebi no dia 26 de maio, de manhã. Tinha passado um fim de semana cansativo, com a casa cheia de gente e, para piorar, a Dani havia passado mal do domingo de manhã. Por conta de umas dores estranhas, passamos todo o meu domingo – de ressaca – no hospital. Ganhamos um atestado de uma semana.

Mas a tal da dor não passou; na segunda a dita persistiu, e na madrugada da terça a minha esposa e a minha sogra estavam indo pro hospital ( sem quererem me acordar, pois eu iria trabalhar de manhã). Acordei novamente de mal-humor e fui levá-las para o tal do hospital. Nada glamourento como nos filmes. Minha esposa estava com um problema chato de estômago e só. Tentei não pensar no que a médica havia dito na véspera sobre contrações e a necessidade de repouso.

Entrei no carro, e veio o glacê do bolo. A droga do carro não quis funcionar. O que de pior pode acontecer? Na segunda tentativa o carro pegou. Fizemos todos os exames do dia anterior novamente e, pombas, de madrugada. Lá por volta das cinco da manhã o médico de plantão dá a notícia acachapante: a bolsa havia vazado e a gravidez teria de ser interrompida, segundo as próprias palavras do doutor.

Virados, cansados e sem saber do iria vir, a minha sogra estava preocupada com o quarto do bebê, que afinal de contas, ela veio mais cedo uns dois meses para fazê-lo. Naquele momento, a impressão que tive era que aquilo era mais importante.

‘ a abelha atarefada não tem tempo para tristezas’ segundo Wilian Blake. Então fizemos o que era mais lógico para nós, naquela situação. Fomos para a casa de meu pai, onde estava a máquina de costura, e fomos buscá-la. Ah, sim, avisamos ao meu pai do que estava acontecendo, as seis e meia da manhã do dia 26. Meu pai é claro, ficou preocupadíssimo e começou a chorar copiosamente. Aí eu disse para ele ‘ pai, isto não é uma morte; é um nascimento! Não há motivos para chorar!’

Quando chego na sala, a minha sogra, Dona Solange, estava chorando MUITO. Mas muito mesmo. Aí caiu a minha ficha. Ela me disse algo mais ou menos assim: Não gostaria que Dani soubesse que eu estou chorando agora. Temos que passar tranqüilidade a ela. E não contei. Até hoje.

Todo o resto virou estória, e vamos contar e recontar várias vezes, omitindo as partes em que o pânico bateu a nossa porta e enaltecendo as grandes tiradas de coragem, determinação de todos os envolvidos. Mas eu me lembro bem daquela manhã. E não quero esquecer dela.

Por que? Simples. Depois daquela manhã, começou o meu aprendizado com minha sogra. Neste aprendizado eu deixei de ser o genro da Dona Solange e me tornei pai de seu neto. Aprendi a ter paciência e trocar as temidas fraldas. Com muito orgulho. Entendi isto hoje de manhã, passeando com ela no shopping em que eu disse para ela como as coisas seriam difícies sem ela, e ela me respondeu – sem hesitar – que eu e a Daniela já sabíamos nos virar. Eu acredito nela.

Então reforço o que disse para ela: dois meses passam rápido.

Muito obrigado, mesmo, Vovó. Eu não teria conseguido sem a senhora.Estou me tornando um pai, um homem de família, e a mãe da minha esposa tem muito a ver com isto. Tenha a mais absoluta certeza.

4 comentários:

LuluK disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LuluK disse...

Tenho certeza que sogrona ajudou um monte nesses momentos atribulados que passaram. Hoje acredito que está tudo lindo e bem. Titão está cada dia mais lindo e com muita saúde. Graças!!! Queremos mais fotos papais.
E vc Zeca em suas homenagens tem sempre a capacidade de emocionar a gente.
Bjs família.

Solange disse...

Meu querido genro, ou melhor filho!
Muito obrigada pelas suas lindas palavras e como sempre vc faz a gente chorar!!!!
Eu não fiz nada demais, apenas como pessoa que já passou várias vezes por tudo isto, dei alguns conselhos, o resto vcs estão fazendo por puro instinto! Sabia que o instinto maternal e paternal é a coisa mais maravilhosa da natureza, sai sem querer e quando vc olha, vê os filhos grandes, educados e encaminhados na vida!! É claro que a gente educa conforme foi educado e tenho certeza que o Tito será um grande homem!!
Muitos beijos e toneladas de saudades!!

Solange disse...

Olhem o que está escrito na roupinha dele!!!!!!! Vem meu lindo, vem pra casa da vovó!!!
Beijinhos!!